|

Comunicados

ARM retoma circuitos habituais de recolha de resíduos

A ARM - Águas e Resíduos da Madeira, S.A. informa que, a partir do próximo dia 11 de maio (2ª feira), retoma os circuitos de recolha de resíduos urbanos habituais, nos 5 municípios aderentes, nomeadamente Câmara de Lobos, Machico, Porto Santo, Ribeira Brava e Santana.

Relembramos os circuitos gerais por município, que poderão ser consultados aqui no site da ARM: www.aguasdamadeira.pt (Resíduos >> Recolha de resíduos >> Dias e zonas de recolha).

Tenha em atenção que a frequência de recolha pode ser ajustada em alguns locais e em determinadas alturas do ano, consoante a quantidade de resíduos produzida.

Para acompanhar as nossas comunicações sobre eventuais alterações à recolha de resíduos (ex.: em feriados, épocas festivas, Verão) siga as nossas páginas de Facebook (/aguasdamadeira) e Twitter (@aguasdamadeira), e consulte o site da empresa acima referido.

E não se esqueça:

  • SEPARE e DEPOSITE corretamente os seus resíduos nos ecopontos, nós garantimos o seu correto encaminhamento para reciclagem.
  • NUNCA abandone lixo no chão. Coloque os sacos dentro dos contentores e mantenha as tampas fechadas. Agradecemos a colaboração de todos.

Circuitos de recolha de resíduos (lixo), para a semana de 4 a 8 de maio

Deixamos aqui o calendário dos circuitos de recolha de resíduos para a próxima semana, de 4 a 8 de maio. Separe os resíduos, nós recolhemos e garantimos o envio dos mesmos para reciclagem. O ambiente agradece!

ARM apoia empresas

Atendendo às atuais circunstâncias, as empresas regionais, clientes da ARM, podem solicitar a suspensão do seu contrato, entre o período de 1 de abril até 31 de dezembro de 2020, sem qualquer custo.

A suspensão do contrato a pedido do cliente, no atual Regulamento Tarifário da Águas e Resíduos da Madeira (ARM), tem um custo de 51,77€ (+IVA), ao qual acresce o custo de 93,18€ (+IVA) para a reativação do contrato (valor aplicado quando a religação é efetuada após a suspensão inferior a 12 meses). No seguimento das medidas que o Governo Regional tem implementado para ajudar as pessoas e as empresas da Região Autónoma da Madeira, a ARM vai permitir que a suspensão dos contratos entre as empresas e a ARM seja gratuita até 31 de dezembro de 2020. Com esta medida, as empresas ficarão igualmente isentas do pagamento da tarifa fixa, durante o período que durar a suspensão. A secretária regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, Susana Prada, que tem a tutela da ARM, reforça a importância desta medida do Governo como «um contributo para minimizar o impacto dos custos fixos às empresas, decorrente do encerramento forçado das suas atividades, motivado pela pandemia Covid-19».

Os pedidos de suspensão de contrato podem ser enviados, até ao próximo dia 15 de maio, através do respetivo formulário que se encontra na página Clientes - Alterar dados do contrato, desde site.

O formulário deverá ser posteriormente enviado, devidamente preenchido e assinado pelo responsável da empresa, juntamente com a leitura do contador e a Certidão Permanente da empresa ou senha para consulta online da mesma, para o seguinte endereço: geral@aguasdamadeira.pt.

A empresa poderá solicitar a reativação do contrato e religação do fornecimento de água a qualquer altura, sem qualquer encargo e mediante o envio do mesmo formulário indicando a data da reativação.

ARM desinfeta, regularmente,viaturas  de recolha de resíduos

A ARM tem vindo a desinfetar, regularmente, os contentores de deposição de resíduos, bem como as suas viaturas de recolha de resíduos.

Seja um agente de saúde pública. Não abandone resíduos fora dos contentores.

Proteja-se e proteja os outros!

Vídeo: https://www.facebook.com/aguasdamadeira/videos/246580753391216

Recolha seletiva e triagem dos resíduos retomadas na próxima quarta-feira

Será retomada a operação de triagem, bem como a recolha seletiva de resíduos recicláveis nos municípios aderentes à ARM – Ribeira Brava, Câmara de Lobos, Machico, Santana e Porto Santo. Os restantes municípios deverão igualmente reiniciar a recolha seletiva dos resíduos recicláveis.

«A recolha seletiva não pode ficar suspensa. A exceção deverá ser apenas para os resíduos produzidos por doentes com o coronavírus, que devem ser colocados no lixo indiferenciado». É assim que a secretária regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas anuncia que a empresa Águas e Resíduos da Madeira (ARM), vai reiniciar, já na próxima quarta-feira a recolha seletiva e a triagem dos resíduos recicláveis. De acordo com Susana Prada, «a continuidade geral dos serviços adequados de gestão de resíduos urbanos, incluindo a recolha seletiva, triagem e envio para reciclagem, deve ser salvaguardada. Os cidadãos devem poder manter os seus hábitos ecológicos, separando bem os seus resíduos, garantindo que os materiais recicláveis sejam colocados nos locais adequados».

Assim, em virtude da situação atual da RAM, onde, na sequência das medidas adotadas pelo Governo Regional e do exemplar comportamento da população madeirense, verificando-se a existência de municípios sem qualquer caso confirmado além de uma baixa taxa de propagação do vírus COVID19 em toda a região, o Governo Regional considera que estão reunidas as condições necessárias para retomar gradualmente as operações de triagem e recolha seletiva dos resíduos do papelão (contentor azul - papel e cartão) e do embalão (contentor amarelo – embalagens plásticas e metálicas).

A partir da próxima quarta-feira, dia 29 de abril, será retomada a receção na Estação de Triagem da Madeira (ET) e no Centro de Processamento de Resíduos Sólidos (CPRS), dos resíduos urbanos provenientes da recolha seletiva de todos os municípios.

A ARM irá implementar novas medidas nas estações de resíduos, por forma a assegurar a segurança dos seus trabalhadores e adequado tratamento dos resíduos rececionados, nomeadamente a reorganização da operação, criação de espaços para a quarentena mínima de 72 horas para os resíduos recicláveis e a desinfeção dos mesmos aquando da sua descarga.

Relativamente à receção de resíduos do embalão (embalagens plásticas e metálicas) e do papelão (papel e cartão), na ETZL e no CPRS, a mesma só poderá ser realizada entre terça-feira e quinta-feira.

Com a adoção destas medidas, considera-se que estão reunidas as condições exigidas para o regresso gradual à normalidade dos serviços de recolha seletiva e triagem dos resíduos, salvaguardando sempre a segurança e a saúde dos trabalhadores, bem como, o ambiente e as melhores condições de saúde pública. De salientar que a recolha e encaminhamento das embalagens de vidro para reciclagem nunca foi interrompida pela ARM.

A ARM agradece o empenho de todos neste processo, especialmente todos os trabalhadores do sector da recolha, triagem e tratamento dos resíduos, que deste a primeira hora garantem a continuidade deste serviço essencial à população.

«Devem todos os municípios dar continuidade e se possível reforçar as ações de sensibilização aos seus munícipes, no sentido de ser efetuada a correta separação das embalagens plásticas e metálicas, de papel e cartão e de vidro», conclui, por outro lado, a secretaria da tutela.

Quase 6 toneladas de resíduos Hospitalares geradas pós-vírus

Desde que se registou um caso de contaminação do COVID-19 na Região Autónoma da Madeira, os resíduos hospitalares do grupo IV, onde se inserem os materiais com o vírus, aumentaram exponencialmente. Nas últimas duas semanas, ou seja, entre o dia 16 e o dia 30 de março, a Água e Resíduos da Madeira (ARM), contabilizou um total de 5,68 toneladas deste tipo de lixo. 

Se analisarmos os dados, no mesmo período de 2018 e 2019 registou-se 1, 94 e 2,2 toneladas respetivamente, o que comprova que existiu nestas últimas semanas mais do que a duplicação de resíduos hospitalares do grupo IV e que se deve à chegada do COVID-19 à Madeira.

Os resíduos hospitalares do grupo IV são de incineração obrigatória, pelo que são todos rececionados nas Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos (ETRS) em contentores de uso único, que por sua vez são acondicionados em contentores marítimos refrigerados e encaminhados para tratamento adequado por incineração em Portugal Continental. Recorde-se que o sistema de autoclavagem recentemente implementado pelo Governo Regional na Madeira, e que permite a Região poupar 500 mil euros por ano, faz o tratamento de resíduos hospitalares até o grupo III.

A Secretária Regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, Susana Prada, relembra, contudo, que o cuidado na gestão deste tipo de resíduos deve ser também aplicado na recolha dos resíduos urbanos, pelos trabalhadores da ARM, mas igualmente pela população que deve adotar mais cuidados no manuseamento do lixo, de forma a não colocar em risco a saúde pública.

Reconhecimento profissionalismo dos trabalhados da ARM

Relativamente aos profissionais da ARM ligados ao setor dos resíduos, mesmo com a Madeira parcialmente parada, fechada em casa e a recorrer a teletrabalho, estes continuam a sair de casa para trabalhar. Estes serviços são essenciais e não vão parar. Daí que a governante aproveita o momento para publicamente «agradecer o seu profissionalismo e reconhecer o esforço extra que este momento difícil exige por parte destes trabalhadores, agora mais duro pelo receio de contágio».

Para garantir a proteção da saúde pública e dos trabalhadores envolvidos nas operações de recolha e tratamento de resíduos e, em simultâneo, controlar os fatores de disseminação da doença e contágio por Covid-19, Susana Prada alerta a população para os cuidados que devem ser tidos em consideração, sobretudo aos resíduos domésticos produzidos pelos doentes confirmados ou suspeitos de terem contraído o vírus e por quem lhes presta assistência. Assim, explica a secretária regional, «os sacos devidamente fechados devem ser colocados dentro de um segundo saco, devidamente fechado, e serem depositados no contentor de resíduos indiferenciados. É importante passarmos esta mensagem: os sacos do lixo devem ser colocados dentro dos contentores, cujas tampas se devem manter fechadas (para evitar que os animais rasguem os sacos e espalhem o lixo, à procura de comida). Nunca se deve abandonar os sacos fora dos contentores, muito menos à porta das casas, porque potenciam a propagação da doença».

255 trabalhadores da ARM afetos ao serviço dos resíduos

O quadro de pessoal da ARM no sector dos resíduos é composto por 255 pessoas. Com a exceção dos colaboradores operacionais, também estão diversos colaboradores em casa a efetuar teletrabalho, assistência aos filhos ou devido a doença crónica. Não obstante, todo o serviço definido para esta fase está a decorrer normalmente, sendo que os trabalhadores se distribuem pelos serviços operacionais de recolha, de transferência, de triagem e de tratamento final (ETRS), bem como, todos os respetivos serviços de manutenção.

Para este período, a ARM montou 3 equipas de desinfeção (1 na zona leste, 1 na zona oeste e 1 no Porto Santo), as quais estão permanentemente no terreno a desinfetar os contentores públicos de deposição de resíduos e de pontos de recolha dos municípios aderentes.

Em termos de recursos, a ARM tem, neste momento, em operação permanente 38 viaturas no serviço de recolha e 10 viaturas de transferência, bem como 4.694 contentores de deposição de resíduos,

Em termos de estações de tratamento, a ARM mantém em operação o Centro de Processamento de Resíduos Sólidos do Porto e a Estação de tratamento de Resíduos Sólidos da Meia Serra, as quais têm capacidade para assegurar o adequado tratamento de todos os resíduos sólidos urbanos produzidos na RAM, bem como o de todos os resíduos hospitalares do grupo III. A ARM mantém ainda a receção de vidro reciclável, resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE), pilhas e acumuladores na Estação de Transferência da Zona Leste, os quais serão encaminhados para a reciclagem.

Diminuição das taxas de reciclagem

Susana Prada esclarece que perante a dificuldade ou a impossibilidade de garantir a desinfeção dos resíduos recolhidos seletivamente e as condições de quarentena exigidas para a gestão dos resíduos, as quais não garantem totalmente a segurança no manuseamento dos mesmos, obrigou a ARM a suspender a triagem manual dos resíduos recolhidos, e consequentemente a recolha dos mesmos, salvaguardando assim a segurança de todos os trabalhadores, principalmente os 40 afetos à triagem, e de terceiros, através da redução do risco de propagação do vírus. «Haverá, portanto, uma natural diminuição das taxas de reciclagem neste período, uma vez que as circunstâncias obrigam a incinerar todo o lixo», antevê a governante.

Medidas Preventivas - COVID-19

Regras para a Deposição de Resíduos

Durante esta fase de pandemia, apelamos para que toda a população cumpra com 5 regras para a deposição do seu lixo doméstico, sobretudo em caso de infeção, suspeita de infeção ou de quarentena.

  1. As máscaras, luvas e lenços de papel devem ser colocados no lixo normal.
  2. lixo contaminado não pode ser reciclado, deve ser colocado no contentor do lixo normal:
  • Qualquer pessoa infetada ou com suspeita de infeção deve colocar o seu lixo em dois sacos, um dentro do outro, bem fechados;
  • Estes sacos não devem estar cheios, nem compactados;
  1. Colocar os sacos do lixo sempre dentro do contentor. NUNCA os abandonar junto ao contentor, pois potencia a propagação de doenças.
  • Se o contentor estiver cheio, deve esperar que este fique disponível ou utilizar outro contentor mais próximo.
  1. Não abandonar resíduos verde e monos – colchões, sofás, móveis, eletrodomésticos e outros materiais que não cabem nos contentores.
  • Em fase de pandemia o serviço de recolha destes resíduos não é prioritário.
  • Se fizer arrumações em casa, deve aguardar pelo fim desta fase para se desfazer destes resíduos.
  1. Ficar em casa e manter a higienização dos baldes e zonas do lixo. Proteger sempre as mãos e lavá-las após todas as operações com o lixo.

Desta forma, ajuda a prevenir a propagação desta doença, protegendo os trabalhadores que asseguram a recolha e tratamento de resíduos todos os dias, contribuindo para a saúde pública da população da Madeira e Porto Santo.

Cuidados com os resíduos em caso de infeção ou suspeita de infeção:

ARM mantém obras essenciais para melhoria do abastecimento de água no Porto Santo

A Águas e Resíduos da Madeira (ARM) vai dar continuidade aos trabalhos de remodelação das redes de distribuição de água, na ilha do Porto Santo, visto serem essenciais para garantir o abastecimento da população local. Neste sentido, tendo em conta a situação atual, a ARM está a tomar todas as medidas preventivas para garantir a segurança dos trabalhadores que se encontram no terreno.

«A manutenção desta obra é premente, sob pena de não ser possível garantir a curto prazo o abastecimento de água à população da ilha do Porto Santo, impedindo o acesso a um serviço público essencial à população e para a prossecução do objetivo de contenção da disseminação da pandemia COVlD-19», explica Amílcar Gonçalves, Presidente da ARM.

Salienta-se que a ARM tem em curso, na ilha do Porto Santo, obras no valor de 3,2 milhões de euros, tendo em vista a remodelação e ampliação dos sistemas de abastecimento e de drenagem locais, numa extensão de cerca de 20 quilómetros de extensão em quase toda a ilha. O investimento é cofinanciado ao abrigo do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos.

Covid-19 obriga a novas medidas na recolha do lixo na ilha do Porto Santo

No seguimento dos mais recentes desenvolvimentos na ilha do Porto Santo no âmbito da pandemia COVID-19, com o diagnóstico de dois casos positivos de infeção e registo de vários casos de quarentena, tendo em vista a contenção da eventual propagação do vírus.

Considerando que a autoridade de saúde estipulou que os resíduos (tais como lenços de papel, restos de comida, embalagens metálicas/plásticas e outro lixo doméstico), produzidos por uma pessoa em quarentena ou em isolamento, devem merecer cuidados especiais, assim como os resíduos produzidos pelos coabitantes, isto é, os resíduos devem ser armazenados em dois sacos de plástico que devem ser colocados no contentor coletivo dos resíduos indiferenciados (NÃO devem ser separados e colocados no ecoponto).

Considerando ainda as seguintes orientações e recomendações para a gestão de resíduos em situação de pandemia por SARS-CoV-2 (COVID-19) da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), de 17/03/2020, entendidas como adequadas ao contexto regional pela Autoridade Regional de Resíduos:

a. "(…) Os Municípios e outras entidades envolvidas na recolha de resíduos urbanos, se necessário, em articulação com os Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos, devem prever no seu plano de contingência o aumento da frequência de recolha da fração indiferenciada dos resíduos (sempre que possível diária) (…)";

b."(…) Os Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos devem proceder ao encaminhamento dos resíduos indiferenciados, diretamente e sem qualquer triagem prévia que possa romper os sacos em causa, preferencialmente para incineração (…)";

c."(…) Caso se verifique uma taxa de absentismo que não permita a recolha adequada e de forma seletiva de todas as frações de resíduos urbanos, preconiza-se a recolha conjunta da fração indiferenciada e da depositada seletivamente (…)".

Assim, tendo em vista a salvaguarda da saúde pública da população da ilha do Porto Santo, a ARM decidiu, a partir do dia 02/04/2020suspender também nesta a recolha seletiva do papelão (contentor azul - papel e cartão) e do embalão (contentor amarelo – embalagens plásticas e metálicas), os quais passarão a ser recolhidos conjuntamente com a fração dos resíduos indiferenciadosA recolha seletiva do vidro manter-se-á nos dias definidos para o efeito.

Face ao exposto, o Município e outras entidades envolvidas na recolha de resíduos urbanos deverão adotar a partir do dia 02/04/2020 as medidas necessárias para o encaminhamento das frações suprarreferidas de resíduos para o CPRS com vista à sua valorização ou eliminaçãode segunda a sexta, no horário compreendido entre as 08h30 e as 16h.

A ARM salienta que está a acompanhar todo o desenvolvimento da situação e que, em função da mesma, medidas mais restritivas poderão ser adotadas de forma a salvaguardar a segurança e saúde pública da população. ​

No seguimento dos mais recentes desenvolvimentos na ilha do Porto Santo no âmbito da pandemia COVID-19, com o diagnóstico de dois casos positivos de infeção e registo de vários casos de quarentena, tendo em vista a contenção da eventual propagação do vírus.

Considerando que a autoridade de saúde estipulou que os resíduos (tais como lenços de papel, restos de comida, embalagens metálicas/plásticas e outro lixo doméstico), produzidos por uma pessoa em quarentena ou em isolamento, devem merecer cuidados especiais, assim como os resíduos produzidos pelos coabitantes, isto é, os resíduos devem ser armazenados em dois sacos de plástico que devem ser colocados no contentor coletivo dos resíduos indiferenciados (NÃO devem ser separados e colocados no ecoponto).

Considerando ainda as seguintes orientações e recomendações para a gestão de resíduos em situação de pandemia por SARS-CoV-2 (COVID-19) da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), de 17/03/2020, entendidas como adequadas ao contexto regional pela Autoridade Regional de Resíduos:

a. "(…) Os Municípios e outras entidades envolvidas na recolha de resíduos urbanos, se necessário, em articulação com os Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos, devem prever no seu plano de contingência o aumento da frequência de recolha da fração indiferenciada dos resíduos (sempre que possível diária) (…)";

b."(…) Os Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos devem proceder ao encaminhamento dos resíduos indiferenciados, diretamente e sem qualquer triagem prévia que possa romper os sacos em causa, preferencialmente para incineração (…)";

c."(…) Caso se verifique uma taxa de absentismo que não permita a recolha adequada e de forma seletiva de todas as frações de resíduos urbanos, preconiza-se a recolha conjunta da fração indiferenciada e da depositada seletivamente (…)".

Assim, tendo em vista a salvaguarda da saúde pública da população da ilha do Porto Santo, a ARM decidiu, a partir do dia 02/04/2020suspender também nesta a recolha seletiva do papelão (contentor azul - papel e cartão) e do embalão (contentor amarelo – embalagens plásticas e metálicas), os quais passarão a ser recolhidos conjuntamente com a fração dos resíduos indiferenciadosA recolha seletiva do vidro manter-se-á nos dias definidos para o efeito.

Face ao exposto, o Município e outras entidades envolvidas na recolha de resíduos urbanos deverão adotar a partir do dia 02/04/2020 as medidas necessárias para o encaminhamento das frações suprarreferidas de resíduos para o CPRS com vista à sua valorização ou eliminaçãode segunda a sexta, no horário compreendido entre as 08h30 e as 16h.

A ARM salienta que está a acompanhar todo o desenvolvimento da situação e que, em função da mesma, medidas mais restritivas poderão ser adotadas de forma a salvaguardar a segurança e saúde pública da população.

Máscaras, luvas e lenços de papel no Lixo Normal

Coloque máscaras, luvas e lenços de papel em sacos fechados e deposite no lixo normal (contentor indiferenciado). NUNCA abandone lixo no chão. A melhor forma de nos agradecer é cumprindo estas simples regas. Colabore! Proteja-se e proteja os outros.

Apelo à população para não abandonar lixo no chão

Nesta altura, muitos são os profissionais que continuam o seu trabalho para o bem da saúde pública. Colabore connosco para facilitar o nosso trabalho na recolha de resíduos

Os resíduos (lixo) devem ser depositados, em sacos fechados, dentro dos contentores. NUNCA abandone os sacos fora dos contentores e na via pública. Mantenha as tampas dos contentores fechadas.

Proteja-se e proteja os outros!

Covid-19 obriga a novas medidas na recolha do lixo

A Águas e Resíduos da Madeira (ARM) prepara-se para reforçar a recolha de resíduos indiferenciados - vulgo lixo normal - nos seus municípios aderentes, designadamente Câmara de Lobos, Machico, Porto Santo, Ribeira Brava e Santana. Atendendo às recomendações das entidades competentes para a salvaguarda da saúde pública, todos os resíduos, à exceção dos de vidro (ecoponto verde), serão enviados para incineração.

No seguimento dos mais recentes desenvolvimentos na Região no âmbito da pandemia COVID-19, com o diagnóstico de três casos positivos de infeção e registo de vários casos de quarentena, tendo em vista a contenção da eventual propagação do vírus.

Considerando que a autoridade de saúde estipulou que os resíduos (tais como lenços de papel, restos de comida, embalagens metálicas/plásticas e outro lixo doméstico), produzidos por uma pessoa em quarentena ou em isolamento, devem merecer cuidados especiais, assim como os resíduos produzidos pelos coabitantes, isto é, os resíduos devem ser armazenados em dois sacos de plástico que devem ser colocados no contentor coletivo dos resíduos indiferenciados (NÃO devem ser separados e colocados no ecoponto).

Considerando ainda as seguintes orientações e recomendações para a gestão de resíduos em situação de pandemia por SARS-CoV-2 (COVID-19) da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), de 17/03/2020, entendidas como adequadas ao contexto regional pela Autoridade Regional de Resíduos:

a. "(…) Os Municípios e outras entidades envolvidas na recolha de resíduos urbanos, se necessário, em articulação com os Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos, devem prever no seu plano de contingência o aumento da frequência de recolha da fração indiferenciada dos resíduos (sempre que possível diária) (…)";

b."(…) Os Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos devem proceder ao encaminhamento dos resíduos indiferenciados, diretamente e sem qualquer triagem prévia que possa romper os sacos em causa, preferencialmente para incineração (…)";

c."(…) Caso se verifique uma taxa de absentismo que não permita a recolha adequada e de forma seletiva de todas as frações de resíduos urbanos, preconiza-se a recolha conjunta da fração indiferenciada e da depositada seletivamente (…)".

Assim, tendo em vista a salvaguarda da saúde pública da população da Região, a ARM decidiu, a partir do dia 20/03/2020, nos seus municípios aderentes na Ilha da Madeira (Porto Santo mantém-se a recolha como habitualmente), aumentar a frequência da recolha de resíduos indiferenciados e suspender a recolha seletiva do papelão (contentor azul - papel e cartão) e do embalão (contentor amarelo – embalagens plásticas e metálicas), os quais passarão a ser recolhidos conjuntamente com a fração dos resíduos indiferenciados. A recolha seletiva do vidro manter-se-á nos dias habituais.

No que concerne à receção na Estação de Triagem da Madeira (Porto Novo), informa-se que será mantida apenas a receção do vidro, estando suspensas as operações de triagem a partir do dia 20/03/2020.

Face ao exposto, os municípios e outras entidades envolvidas na recolha de resíduos urbanos deverão adotar, a partir do dia 20/03/2020, as medidas necessárias para o encaminhamento das frações suprarreferidas de resíduos, da seguinte forma:

  • Resíduos indiferenciados, papel/cartão, embalagens, monos, verdes e madeiras (entre outros, não passíveis de serem encaminhados para reciclagem): diretamente para a ETRS da Meia Serra, no horário habitual para a receção de resíduos;
  • Vidro, sucata, REEEs, pilhas e acumuladores: na Estação de Transferência da Zona Leste (Porto Novo), de segunda a sexta, no horário compreendido entre as 08:30h e as 16:00h.

A ARM salienta que está a acompanhar todo o desenvolvimento da situação e que, em função da mesma, medidas mais restritivas poderão ser adotadas de forma a salvaguardar a segurança e saúde pública da população.

ARM não vai cobrar água aos municípios

A Água e Resíduos da Madeira (ARM) não cobrará aos seus clientes diretos os consumos de água entre os dias 16 e 31 de março. Da mesma forma, os consumos em alta dos municípios não aderentes à ARM, serão também isentados do pagamento, nomeadamente, Calheta, Funchal, Ponta do Sol e Santa Cruz.

O Governo Regional da Madeira vai isentar do pagamento todos os madeirenses e porto-santenses dos consumos de água, entre os dias 16 e 31 de março.

A ARM - Águas e Resíduos da Madeira não cobrará os valores de consumo de água potável e dos serviços associados a esta, bem como dos serviços de saneamento, recolha e tratamento de resíduos urbanos aos seus clientes diretos nos municípios aderentes à ARM, designadamente, Câmara de Lobos, Machico, Porto Santo, Ribeira Brava e Santana.

A mesma medida será igualmente aplicada ao valor de água fornecida em alta aos municípios não aderentes, assim como ao valor da entrega e tratamento dos resíduos sólidos urbanos, entre os dias 16 e 31 de março, beneficiando os municípios do Funchal, Ponta do Sol, Calheta e Santa Cruz, cabendo a estes municípios a repercussão, pelos seus munícipes, da presente isenção. A isenção do pagamento da entrega e tratamento dos resíduos sólidos urbanos englobará também os municípios do Porto Moniz e de São Vicente.

Medidas preventivas COVID-19 (Atualização 16/03)

A ARM – Águas e Resíduos da Madeira, S.A., no seguimento das orientações das entidades governamentais e de saúde regionais e nacionais relativas à prevenção ao COVID-19, e de acordo com seu o Plano de Contingência, informa o seguinte relativamente à prestação dos seus serviços.

Atendimento ao público

  • A partir do dia 16 de março de 2020, encerrará os seus balcões de atendimento ao público.
  • Mais informa que o atendimento nos balcões encerrados poderá ser realizado apenas em situações consideradas urgentes e previamente agendadas telefonicamente.
  • Assim, atendendo às circunstâncias atuais, apela uma vez mais aos seus clientes que privilegiem os meios de pagamento eletrónico e que não se desloquem aos balcões de atendimento.
  • Os clientes da ARM poderão manter o contacto com os serviços comerciais da empresa através do seguinte e-mail: geral@aguasdamadeira.pt ou através do contacto telefónico para uma das seguintes linhas de atendimento: Linha Cliente - 291 950 500 ou Linha Verde - 800 910 500.

Recolha de resíduos a pedido

  • O serviço de recolha de resíduos verdes e monos (eletrodomésticos, móveis e outros resíduos volumosos) está suspenso até nova indicação.
  • Assim, apelamos à população que armazene em casa os seus resíduos verdes e monos e não os abandone na via pública.
  • Abandonar os resíduos na via pública potencia o aparecimento de riscos que não contribuem para a segurança e saúde pública.

Receção de resíduos

  • Relativamente à receção de resíduos, informamos o seguinte:

- A Estação de Transferência da Zona Oeste, na Meia Légua, será encerrada.

- Na Estação de Transferência da Zona Leste e Estação de Triagem da Madeira, no Porto Novo, e no Centro de Processamento de Resíduos Sólidos do Porto Santo, o horário será reduzido: a receção de resíduos far-se-á apenas entre as 8h30 e as 16h.

- A Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos, na Meia Serra, manterá o horário habitual para receção de resíduos.

Agradecemos a compreensão de todos para estas medidas excecionais, que poderão ser alteradas sempre que por razões de saúde pública se justificar.

Medidas preventivas - COVID-19

A ARM – Águas e Resíduos da Madeira, S.A., no seguimento das orientações das entidades de saúde regionais e nacionais relativas à prevenção ao COVID-19, e de acordo com seu o Plano de Contingência, informa o seguinte:

  1. O prazo de pagamento das faturas de água dos meses de março e abril será alargado para 60 dias, bem como serão suspensos os avisos de corte de água;
  2. Os serviços de atendimento ao público serão reduzidos ao mínimo e estritamente necessário;
  3. Apela aos seus clientes para que, privilegiem os meios de cobrança eletrónica e que evitem deslocações desnecessárias aos balcões de atendimento e prefiram o contacto:
  • por e-mail através do geral@aguasdamadeira.pt; ou
  • através de uma das seguintes linhas de atendimento telefónico:

- Linha Cliente: 291 950 500;

- Linha Verde: 800 910 500.

  1. Faz saber que todas as atividades de educação ambiental (ações de sensibilização e visitas de estudo às suas instalações), bem como outros eventos estão suspensos.

Mais se informa que estas medidas serão revistas sempre que se justificar.